26 de setembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
12/11/18 às 13h02 - Atualizado em 12/11/18 às 13h07

Pessoas em situação de rua do Paranoá

COMPARTILHAR

Os moradores do Paranoá constantemente vêm reclamando das pessoas que vivem em situação de rua e insistem em ficar nas portas dos comércios da cidade, ou dormindo na Praça Central e em outros lugares públicos.  Para tomar uma medida a Administração Regional do Paranoá procurou Serviço Especializado em Abordagem Social – SEAS que atua na política de assistência social e realiza atendimento de pessoas em situação de vulnerabilidade que vivem ou trabalham nas ruas do Distrito Federal.

As equipes de abordagem social atuam através da metodologia da pedagogia da presença, com construção gradativa de vínculos de confiança que favoreçam o desenvolvimento do trabalho social com as pessoas atendidas. Esse serviço possuiu um caráter continuado e planejado, pautado na busca pelo conhecimento da história e trajetória de vida, o contexto em que estão inseridas, demandas, aspirações e desejos; para que seja possível a construção do plano individual de acompanhamento contendo objetivos e metas que visam à melhoria da vida dessas pessoas e a construção do processo de saída das ruas.

O trabalho social do SEAS pode ser compreendido como o elo entre as pessoas em situação de rua e a rede de proteção social. É realizado por trabalhadores da assistência social, devidamente orientados por pressupostos éticos, conhecimento técnico-metodológico e técnico operacional.

A busca ativa permite garantir proatividade ao poder público ao identificar e alcançar pessoas que, por suas vulnerabilidades e fragilidades, não tem acesso aos serviços de proteção e garantia de direitos. Em respostas a demanda apresentada, segue relato:

 Informamos que a equipe de abordagem do SEAS acompanha a área indicada na solicitação e realiza abordagens periódicas na região. A equipe já conseguiu inserir uma das pessoas atendidas no acompanhamento na rede de saúde da região e durante o atendimento da equipe outra pessoa em situação de rua da referida localidade no Paranoá conseguiu um trabalho informal e saiu da situação de rua.

Ressaltamos que realizamos abordagens constantes na região, mas grandes partes das pessoas que estão nesta situação de vulnerabilidade no Paranoá possuem certo grau de dependência química, sendo mais difícil a adesão aos serviços da Assistência Social. Iremos continuar abordando na localidade e fazendo busca ativa de pessoas em situação de vulnerabilidade social no espaço da rua.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros